HOT NEWS

Artigo Oficial: Retorno

Esta é a continuação da história do herói tibiano, Tibicus. Clique nos links abaixo para ler os capítulos anteriores:

1. Chuva 2. Resgate 3. Desespero 4. Problemas 5. Rivalidade 6. A Entrega 7. Acerto de Contas 8. Reunião 9. Incêndio 10. Impressões 11. Baixa 12. Passado 13. Desejo


Depois de voltar de mãos vazias de Venore, Tibicus vive uma vida triste e solitária, tentando preencher o vazio dentro dele.  Até que uma notícia inesperada vira seu mundo de cabeça para baixo novamente.

Ultimamente, ele não sabia dizer com que frequência se sentava sozinho no telhado, observando Suon perseguir sua irmã pelo céu, esperando a noite chegar.  Fazia vários meses que Tibicus e seus amigos haviam retornado de mãos vazias para Thais.

Seu eterno adversário Beefo já era. Seus ex-aliados e associados o traíram no segundo em que souberam da tragédia que aconteceu em Venore e, devagar e sempre, novos grupos estavam prestes a preencher o vácuo de poder que ele havia deixado para trás. O vazio que suas ações maliciosas deixaram dentro de Tibicus, no entanto, continuava tão doloroso quanto no primeiro dia.

Ele deixara Thais para longas viagens de caça nos últimos meses várias vezes, a fim de distrair os pensamentos. Graças a essas viagens, ele foi capaz de comprar de volta a maioria dos itens raros que havia vendido antes e até conseguiu alguns novos para a sua sala de troféus. No fundo, porém, a devastadora certeza se espalhou de que nada poderia compensar a perda de seu precioso chapéu.

Tabea, por outro lado, vivia tempos difíceis. Mesmo depois de todos esses meses, seus olhos estavam sempre vermelhos de tanto chorar, enquanto a pele sem brilho e as profundas olheiras representavam os efeitos negativos das longas noites sem dormir. Ela passara cada minuto livre visitando as bibliotecas de todo o continente em busca desesperada de pistas sobre o reino dos demônios e a possibilidade de romper a barreira mágica que separava os dois mundos. No entanto, as poucas pistas enigmáticas que ela havia descoberto a esse respeito provaram ser apenas fantasias e lendas inúteis.

Como se isso não fosse nada assombroso, recentemente, ela e Tibicus vinham brigando com mais frequência por causa de suas diferentes visões sobre Fridolin. Para o desgosto de Emílio, que se via entre os rostos bravos dos seus amigos.

As reuniões na taverna de Frodo se tornaram cada vez mais raras e terminavam cada vez mais em brigas violentas. Mesmo que ninguém quisesse admitir, os três se afastaram e, como todo mundo estava caçando seus próprios demônios, parecia inevitável que, a longo prazo, todos seguissem seu próprio caminho.

Era uma daquelas noites em que Tibicus se sentava sozinho em uma das pequenas mesas de Frodo. Amargurado como sempre, ele olhou para sua caneca de cerveja xingando baixinho e demonizando o mundo.

Depois de algum tempo, um jovem deu um tapinha no ombro dele: "Você se importa?"

Tibicus apenas grunhiu sombriamente e indicou com um aceno desmotivado que ele deveria ir embora. O jovem, no entanto, já havia se sentado e tomou um gole profundo do copo.

"Aaaaah! Não há nada melhor do que uma cerveja deliciosa antes de uma grande batalha, você não acha?", o aventureiro tentou iniciar uma conversa e brindou ao vizinho de mesa mal-humorado.

Tibicus ergueu uma sobrancelha, depois hesitantemente ergueu o copo e concordou.

As batalhas sempre foram seu ponto fraco e a menção de uma luta que viria em breve aguçava sua curiosidade.

"Então, de qual batalha você pretende participar?" Tibicus perguntou despretensiosamente.

"Você ainda não ouviu falar? Estão comentando por toda a cidade! Foram percebidas movimentações próximas à cidadela. O mago malévolo está prestes a retornar. Partiremos em breve para lutar contra ele."

Tibicus engasgou com a sua cerveja. Tossindo e ofegante por ar, bateu no peito com o punho para desobstruir a garganta e secou os respingos de cerveja da sua calça. "Você quer dizer...?"

"Por acaso você estava morando embaixo de uma pedra? Ferumbras está voltando!", o rapaz completou a sua frase.

Apressadamente, Tibicus empurrou a mesa de madeira para o lado, se espremendo rumo à saída entre a multidão que bebia . "Coloque na minha conta, Frodo!", gritou enquanto abria a porta com um chute, saindo da taverna e invadindo a noite.

Como um raio, ele desceu a rua, fez uma curva fechada à direita correndo em direção à muralha leste da cidade. Vendo o poço no fim da rua, ele sabia que estava perto do seu destino. Depois de outra curva fechada para a esquerda, ele subiu uma escada e parou, sem fôlego, em frente a uma porta de madeira.

"The City Wall 3e"

As cortinas fechadas implicavam que quem morava nessa casa estava ou dormindo ou ausente, mas Tibicus bateu seu punho contra a porta. Demorou um tempo até que um homem magro abriu a porta. Ainda sonolento, ele esfregou os olhos :"Tibicus? O que você quer? Você sabe que horas são?"

"Me fale... É verdade? Ferumbras está prestes a voltar?" Tibicus estava ofegante, tentando recuperar seu fôlego após a corrida.

O homem lhe deu um olhar sombrio. "Você também saberia, se tivesse se juntado a mim na minha jornada para explorar as terras naquela época."

"Escute, eu não tenho tempo para seus pequenos jogos de poder. Você explorou todo o mapa, reuniu uma sabedoria incrível e, de algum jeito mágico, sempre sabe o que está para acontecer antes de todo mundo. Agora me diga, Interest Keeper, ele irá retornar?"

"Não me chame assim! Não é mágica, eu apenas visitei todos os pontos interessantes do Tibia e, assim, construí uma rede de informantes cheia de recursos",  o homem respondeu. "Algo que você é preguiçoso demais para fazer. E sim, Ferumbras está voltando! Provavelmente nas próximas horas. Agora suma daqui, eu preciso do meu sono de beleza."

Nenhum comentário